Site em Português English Version

 

Galeria de Pintores Impressionistas Clássicos


Monet

Degas

Morisot

Caillebotte

Boldini

Renoir

Cassatt

Turner

Van Gogh


Rosa e Azul - O original e as Interpretações

As Meninas Cahen d'Anvers - Rosa e Azul
Renoir - 1881 - 119x74cm


Les Demoiselles Cahen d'Anvers - Rose et Bleue
Quadro original de Renoir
   

    O quadro "As Meninas Cahen d'Anvers" (conhecido como "Rosa e Azul"), pintado por Renoir em 1881 foi encomendado pelo banqueiro Louis Raphael Cahen d'Anvers, pai das meninas que aparecem no quadro - Alice e Elisabeth Cahen d'Anvers. A família do banqueiro não gostou do resultado e o quadro ficou esquecido, escondido em um lugar qualquer obscuro da casa e só muitos anos depois foi redescoberto. A obra pertence ao acervo do Museu de Arte de São Paulo (MASP) desde que foi adquirida por Assis Chateaubriand (fundador do Museu). Este quadro tem sido fonte de muita inspiração para o público e para outros pintores. O pintor Washington Maguetas e o quadrinista Maurício de Souza já fizeram suas interpretações artísticas desta grande obra (ver imagens abaixo).

    "Renoir, pintando Rosa e Azul, mostra na vibração da superfície e das cores vivas que compõem os vestidos das meninas toda a vivacidade e a graça instintivamente feminina que se esconde atrás da convenção da pose, todo o frescor e a candura da infância. As meninas quase se materializam diante de observador, a de azul com o seu ar vaidoso e a de rosa com um certo enfado, quase beirando as lágrimas." (Texto junto ao quadro - MASP)


Foto no MASP, durante a exposição "As 100 Maravilhas - Impressionismo e Referências"

Análise da Obra
Por Percival Tirapeli - Professor de Estética e História da Arte da UNESP

Além de ser uma obra-prima, Rosa e Azul sintetiza algumas das preferências de Renoir. O nome remete às tonalidades que estarão presentes em muitas das telas, sendo suas cores favoritas.

Além disso, o quadro apresenta uma mistura de técnicas que marca muito o trabalho de Renoir. Temos aqui três momentos bem distintos, criados com três técnicas diferentes. O primeiro deles é o rosto polido das meninas, praticamente sem sombras, muito bem trabalhado e de forma bem arredondada.

Em seguida, percebe-se a tinta gorda esticada com um pincel chato que dá todo o volume e textura do cinturões dos vestidos.

O terceiro momento é a sensação causada pela textura do vestido, pelo qual ele deixa transparecer a estrutura do corpo das meninas.

Neste caso, ele aplica a técnica do pontilhismo - muito usada por seu amigo Alfred Sisley (1839-1899) - os tons são divididos em semitons e lançados na tela em pequeninos pontos visíveis de perto, mas que se fundem na visão do espectador ao serem vistos a distância.

Este quadro demonstra ainda toda a energia de vida que Renoir sempre quis retratar em suas obras.


Damas em Giverny (óleo sobre tela - 47x59cm - 2005)
Quadro pintado por Washington Maguetas, imaginando como estariam estas duas irmãs de rosa e azul
após alguns anos, visitando os jardins da casa de Monet na cidade de Giverny, na França.


Magali e Mônica de Rosa e Azul
Versão pintada por Maurício de Souza em 1989, após ver pessoas tentando
copiar o quadro original durante uma exposição no MASP.
Após esta idéia, Maurício de Souza fez uma exposição e um livro chamado
"História em Quadrões", com paródia da obra de diversos artistas utilizando
seus personagens.


    Abaixo, uma inocente análise do quadro de Renoir em forma de poesia:

    Uma Mulher Admirando O Quadro Rosa E Azul Do Pintor Renoir

    O quadro chamado Rosa e Azul do pintor Renoir...
    Me deixa avoada e totalmente no ar!
    Por causa da sua beleza...
    Repleta de nobreza!

    Este quadro feito com a técnica de óleo sobre tela...
    Mexe com a minha alma inocente de donzela!
    Este quadro tem duas meninas...
    Vestidas de bailarinas!

    Uma menina tem cabelos dourados,
    Que encanta os espíritos apaixonados!
    A outra menina é morena...
    E linda como a açucena!

    A loira tem uma faixa azul na cintura,
    Que combina com o seu olhar de ternura!
    A morena tem uma faixa rosa,
    Delicada e formosa!

    A loira tem um olhar que é um misto de malícia com ternura...
    Mas, que transmite uma profunda doçura!
    A morena tem um olhar de medo e insegurança...
    Mas, com certeza é um olhar de criança!

    Vendo estas duas meninas vejo a minha própria alma...
    Dividida em duas, nesta tela que me acalma!
    A loira é a parte cheia de alegria,
    Malícia, ironia e fantasia!

    A morena é a parte cheia de insegurança,
    Medo, juízo e traumas de infância!
    Mas, mesmo assim ela não deixa de ser formosa...
    E singela como uma frágil rosa!

    O quadro chamado Rosa e Azul do pintor Renoir...
    Me deixa avoada e totalmente no ar!
    Sou uma mulher com alma de donzela...
    Admirando esta singela tela.

    Luciana do Rocio Mallon


    "Meninas da Noite", 1994 - Cirton Genaro
    Óleo sobre tela/madeira - 56 x 40 cm

    "A criatividade do professor e artista plástico paulista Cirton Genaro está muitas vezes associada à ousadia. É o que ocorre quando toma a célebre tela Rosa e azul, de Renoir, e transforma as meninas virginais do mestre francês em Meninas da Noite.

    Ludismo, surpresa e capacidade técnica se juntam nesse e em outros trabalhos, que receberam elogios de críticos como Jacob Klintowitz, Mario Schemberg e Paulo de Almeida, além do pintor Octavio Araújo, um dos mestres do surrealismo brasileiro.

    O autêntico artista plástico torna cada quadro que realiza um significativo, único e contundente manifesto de si mesmo. Cada tela é uma proposta estética repleta da verdade do artista, de seus valores, temas e da sua capacidade técnica de materializar uma poética."

    Oscar D'Ambrosio (jornalista e membro da Associação Internacional de Críticos de Arte) em "A pintura visceral de Cirton Genaro"


    Outras citações e referências baseadas no quadro:

    "De volta às telas, chego em frente às meninas de rosa e azul do Renoir, experimento o mesmo encantamento com o olhar brilhante e o beicinho aborrecido da menininha menor, a de rosa. Alguém me disse que ela estava cansada. A mãozinha que descansa na faixa da cintura parece confirmar isso." (Beatriz Xavier Flandoli é psicóloga, mestre em Educação e professora da UFMS)

    "Minha paixão por Renoir começou quando visitei o MASP e dei de cara com essa perfeição. Depois disso, em todos os museus de arte que vou sempre fico horas analisando as pinturas de Renoir, mas nenhum deles é tão impressionante quanto este." (Renata Kremer)

    "Em uma exposição de Renoir no Masp, eu parei em frente esse quadro, e fiquei bem uma hora olhando! Todo mundo da fila olha para o quadro e para mim!!!! eu fiquei abismada na frente de tanta perfeição!!! O quadro é simplismente lindo!" (Terezinha Puppim)

    "Vocês repararam nos olhinhos da irmã menor? Estão cheios de lágrima. parece estar cansada de tanto posar para a pintura, já a irmã maior está com uma pose soberba, com um olhar superior como se fosse uma princesinha. Renoir conseguiu captar exatamente esses sentimentos das duas menininhas. Simplesmente magnífico!" (Denise Calazans Russi)

    "Olhando o quadro tive a impressão que a qualquer momento elas iam se movimentar, falar comigo, é emocionante a perfeição a sensibilidade que ele tem." (Fátima Simões)


    Página criada por Rodrigo Siqueira
| início | o artista | o atelier | galerias | novos | artigos | o impressionismo | salas | postbit | contato |
Copyright © 2011 - Atelier Washington Maguetas
Hospedagem do site por Insite